COMO SURGIU A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL?

 COMO SURGIU A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL?
Compartilhe

Evolução da Inteligência Artificial: De Mitos Antigos a Soluções Modernas

A fascinação da humanidade pela criação de seres artificiais não é novidade. Várias culturas ao longo da história almejaram replicar a vida humana através de figuras artificiais. Os mitos gregos, por exemplo, narram sobre Hefesto, divindade das forjas, que moldou autômatos metálicos (Eram estátuas metálicas animadas de homens, animais e monstros) para auxiliá-lo. Estas narrativas, apesar de não se assemelharem às modernas IA, evidenciam o antigo desejo humano de conceber entidades mecânicas com traços humanos.

A Gênese da Inteligência Artificial

A jornada para a formulação da ideia de inteligência artificial começou antes mesmo de o termo ser popularizado nos anos 50. Em 1943, o neurofisiologista Warren McCulloch e o matemático Walter Pitts escreveram um artigo sobre como os neurônios poderiam funcionar e para isso, eles modelaram uma rede neural simples usando circuitos elétricos.

Warren McCulloch e Walter Pitts criaram um modelo computacional para redes neurais baseadas em matemática e algoritmos denominados lógica de limiar (threshold logic). Este modelo abriu o caminho para a pesquisa da rede neural dividida em duas abordagens: uma abordagem focada em processos biológicos no cérebro, enquanto a outra focada na aplicação de redes neurais à inteligência artificial.

Essa inovação pavimentou o caminho para as futuras redes neurais artificiais, capazes de aprender e evoluir.

O avanço crucial ocorreu com Alan Turing, que, em 1950, introduziu o conceito do “Teste de Turing”, desafiando a ideia de inteligência ao sugerir que uma máquina poderia ser considerada inteligente se pudesse se passar por humana em uma conversa. Turing não apenas lançou alicerces para a futura IA, mas também provocou reflexões sobre as implicações éticas e filosóficas da consciência artificial.

O rótulo “inteligência artificial” surgiu em 1956, durante uma conferência em Dartmouth. John McCarthy, pioneiro da área, trouxe o termo à tona para descrever o esforço de desenvolver máquinas que simulassem habilidades cognitivas humanas.

A IA nas Décadas Iniciais

Durante os anos 50 e 60, foram estabelecidos importantes marcos. Em 1958, McCarthy criou a linguagem LISP, uma ferramenta essencial para trabalhos em IA. Já em 1959, emergiram os primeiros algoritmos genéticos, que, apesar de rudimentares, mostraram a capacidade de evoluir. Na mesma época, sistemas de tradução textual deram seus primeiros passos, e, mesmo com resultados iniciais modestos, sinalizavam o potencial da IA.

Os anos 70 trouxeram os “Sistemas Especialistas”, projetados para abordar questões específicas. Ao expandir essa tecnologia para áreas como medicina, a pesquisa em IA começou a tratar da incerteza e complexidade das decisões.

O Presente da Inteligência Artificial

Atualmente, a IA está em ascensão, catalisada tanto por inovações tecnológicas quanto por demandas do mercado. Exemplificando essa revolução, temos o ChatGPT da OpenAI, que se utiliza do processamento de linguagem natural para estabelecer diálogos fluídos. No entanto, a IA não se restringe a Chatbots. Seja na medicina, na indústria ou no setor financeiro, a inteligência artificial tem reformulado e otimizado processos, evidenciando seu poder transformador na sociedade moderna.

Referência: https://exame.com/inteligencia-artificial/como-surgiu-a-inteligencia-artificial/


Compartilhe