ROBÔS SIMULAM PRESENÇA DE ALUNOS EM ESCOLAS DE KUMAMOTO

 ROBÔS SIMULAM PRESENÇA DE ALUNOS EM ESCOLAS DE KUMAMOTO
Compartilhe

Em uma iniciativa inovadora, a cidade de Kumamoto, no Japão, planeja introduzir robôs nas salas de aula para representar alunos que optam por estudar remotamente. Esta estratégia visa combater o crescente número de ausências escolares observadas recentemente.

O projeto, endossado pelas autoridades locais, visa não apenas reduzir a evasão escolar, mas também abordar questões como o isolamento e a ansiedade que muitos estudantes sentem devido à pandemia da covid-19 ou a problemas como bullying. Através destes robôs, os alunos poderão assistir às aulas e interagir com colegas e professores, como se estivessem fisicamente presentes.

De acordo com informações do jornal Mainichi Shimbun, os robôs, que terão cerca de um metro de altura, serão equipados com câmeras e microfones. Eles não estarão limitados apenas às salas de aula; poderão se mover pela escola e até mesmo participar de atividades acadêmicas. O investimento para esta iniciativa é de aproximadamente 1,55 milhão de ienes, o que se traduz em pouco mais de R$ 52 mil. A eficácia e os impactos deste projeto serão monitorados e avaliados até março de 2024

Embora nenhum dispositivo tenha sido ainda implantado em humanos, a Neuralink traçou uma rota ousada para avançar com seus dispositivos revolucionários, que Musk comparou a um “Fitbit no seu crânio”. Com o sinal verde da FDA para iniciar testes em humanos, após superar preocupações iniciais de segurança, a empresa mira em realizar procedimentos em 11 pacientes já no ano seguinte e pretende expandir para mais de 22 mil indivíduos até o final da década. 


Compartilhe