TECNOLOGIA E HUMANIDADE: O SURGIMENTO DAS ÂNCORAS DE NOTÍCIAS GERADAS POR IA NA ÍNDIA

 TECNOLOGIA E HUMANIDADE: O SURGIMENTO DAS ÂNCORAS DE NOTÍCIAS GERADAS POR IA NA ÍNDIA
Compartilhe

A crescente discussão sobre se a inteligência artificial (IA) substituirá efetivamente os profissionais humanos tem ganhado destaque na Índia, onde uma nova tendência tem agitado esse debate: a utilização de âncoras de notícias geradas por IA em empresas de comunicação locais.

O primeiro caso desse tipo no país ocorreu em abril deste ano, quando o canal de notícias “Aaj Tak”, do grupo “India Today”, uma das maiores empresas de mídia indiana, apresentou Sana, um chatbot que leu os destaques do noticiário. Seguindo esse exemplo, a estação de televisão “Odisha TV”, no leste da Índia, também adotou uma apresentadora chamada Lisa, gerada por IA, para ler as manchetes em Odia, o idioma local. Apresentando-se com um sari, olhos e cabelos escuros, Lisa fornece as notícias tanto para a televisão quanto para as plataformas digitais da empresa.

Chatbots Lisa e Sana: Desafios e Potencialidades na Comunicação Multilíngue

À primeira vista, Lisa pode facilmente ser confundida com uma apresentadora humana, mas uma análise mais detalhada revela seus movimentos lentos ao piscar os olhos e os poucos gestos realizados com as mãos. A voz de Lisa tem um tom robótico e monótono, e ela não marca a fala durante a apresentação, como é comum entre os jornalistas humanos. O chatbot também aparece no perfil do Twitter da “Odisha TV”, onde, em algumas publicações, ela aparece sem o sari e com os cabelos soltos.

Apesar das limitações evidentes na comunicação do chatbot, o “South China Morning Post (SCMP)” sugere que, devido à capacidade de falar mais de um idioma, tanto Sana quanto Lisa podem facilitar o consumo de notícias na Índia, que possui mais de 20 idiomas oficiais diferentes. Enquanto Lisa fala apenas em inglês e Odia, Sana é capaz de se comunicar em 75 idiomas distintos.

Chatbots na Mídia: Complementando e Impulsionando a Comunicação

Tanto o “India Today” quanto a “Odisha TV” asseguram que os chatbots não substituem os jornalistas humanos, mas apenas os complementam. De fato, após ler as manchetes, Sana e Lisa costumam passar a palavra para os apresentadores humanos, que conduzem os debates com os convidados.

Apesar dessa garantia, ambos os grupos indianos estão treinando as tecnologias para interagir melhor com os humanos, e o “India Today” tem o desejo de que Sana também possa mediar os debates na TV. O objetivo é se manter na vanguarda das inovações tecnológicas e aproveitar ao máximo o potencial oferecido pela IA.

Para as empresas de comunicação, a adoção desses chatbots traz benefícios, como o aumento da eficiência da equipe, garantindo cobertura 24 horas e diversificando a linguagem falada. Além disso, as tarefas banais, repetitivas ou de análise de dados podem ser realizadas pela IA, permitindo que os jornalistas humanos se concentrem em abordagens inovadoras e no trabalho mais criativo.

Contudo, do outro lado, há preocupações com a falta de nuances nas histórias transmitidas e a ausência de um elemento humano nas apresentações. Além disso, surgem apreensões em relação à segurança do emprego, já que a crescente adoção de IA na mídia pode levantar questões sobre a manutenção de empregos tradicionais. Sana e Lisa se juntam a uma legião de outros chatbots utilizados na comunicação, inclusive como apresentadores de notícias e previsões do tempo em várias partes do mundo. Essa tendência provavelmente continuará evoluindo, e é necessário encontrar um equilíbrio entre o potencial da inteligência artificial e a importância do elemento humano na indústria da mídia.

Referência: https://www.cnnbrasil.com.br/tecnologia/india-cria-apresentadores-de-noticias-com-ia-e-acende-alerta-nos-profissionais-da-area/


Compartilhe